Início Categorias Cidades Esquece CPMF. Proposta econômica de Bolsonaro é muito pior (para os pobres)

Esquece CPMF. Proposta econômica de Bolsonaro é muito pior (para os pobres)

Comentários desativados em Esquece CPMF. Proposta econômica de Bolsonaro é muito pior (para os pobres)
0
7,573

Nesta semana, todas as atenções se voltaram para a declaração de Paulo Guedes, guru financeiro de Bolsonaro, sobre a volta da CPMF. De bate pronto, o candidato à Presidência pelo PSL desmentiu a recriação do imposto sobre transações financeiras, mas um detalhe passou desapercebido nem foi negado por ele. Talvez não tenha desmentido porque é verdade.

Até uma cortina de fumaça foi criada para que o tema continue esquecido. Paulo Guedes desmarcou encontros públicos como parte do jogo de cena. Estamos falando é de sua proposta de alteração do Imposto de Renda. Isso mesmo, o único imposto que é progressivo no Brasil, quem tem mais, paga mais, o guru de Bolsonaro pretende transforma em uma taxação igual para todos.

Hoje, quem ganha até R$ 1.900 está isento do pagamento do IR. Dessa faixa até R$ 4,7 mil, o contribuinte paga uma alíquota de 15% sobre o rendimento e, acima disso, é taxado em 27,5%

A proposta de Paulo Guedes é bem simples. Todos os brasileiros vão pagar 20%, independentemente de sua faixa de renda. Todos pagarão 20% de IR, inclusive quem ganha menos de 1.900 reais. E quem ganha acima de 4,7 mil reais, na verdade, receberá um desconto de imposto de renda. Deixa de pagar 27,5% para recolher 20%. Em outras palavras: quem ganha mais vai pagar menos e quem ganha menos vai pagar mais. É o Robin Hood ao contrario, tirando dos pobres para dar para os ricos.

Isto o candidato não desmentiu. Então, você que conhece alguém que ganha hoje 1,5 mil e não paga imposto e pretende votar no candidato, explica no que ele está se metendo. Não adianta falar só em truculência, homofobia e discriminação às mulheres. É preciso mostrar que, com a eleição de um candidato como Bolsonaro, quem mais vai perder são os pobres.

Não é à toa que boa parte da imprensa internacional começa a dizer que Bolsonaro, se eleito, vai jogar o Brasil em uma triste aventura. O País dará um passo rumo ao abismo. Esse tipo de política econômica só vai aprofundar ainda mais a pobreza que Temer está trazendo de volta aos lares brasileiros. Não se constrói um país com miseráveis. Para estes, resta apenas uma solução: tentar sobreviver.

Um povo que luta por seus direitos não pode deixar a situação ficar pior do que está. É preciso, antes de mais nada, agir. Até o dia 7 de outubro, cada democrata deve desmontar este candidato, convencendo eleitores a fazerem outra opção. Senão, o que vai restar será muito sofrimento para todos (os pobres).

Carregar artigos semelhantes
Carregar mais em Cidades
Fechado para comentários

Veja também

No Rio, grupos paramilitares aumentam violência após primeiro turno

Coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), a cientista social e e…