Início Categorias Cidades Alckmin agora quer instalar portas de segurança no metrô, mas já vetou esse projeto do deputado Barba

Alckmin agora quer instalar portas de segurança no metrô, mas já vetou esse projeto do deputado Barba

Comentários desativados em Alckmin agora quer instalar portas de segurança no metrô, mas já vetou esse projeto do deputado Barba
0
2,316

Em janeiro de 2017, o governador Geraldo Alckmin publicou no Diário Oficial o veto ao Projeto de Lei 1562/2015, de autoria do deputado Teonilio Barba (PT), que previa a instalação de portas de segurança entre a plataforma e o vagão nas estações de metrô onde ainda não houvesse essa adaptação.

No entanto, em 24 de fevereiro deste ano, o próprio governador enviou à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo um Projeto de Lei que prevê o redirecionamento de US$ 111 milhões (R$ 360 milhões) da construção do Trecho Treze – Chácara Klabin, linha Lilás, para a instalação de portas de segurança nas principais estações da linha azul e vermelha.

Quando vetou o PL 1562/2015, Alckmin alegou que o Metrô é uma empresa de capital misto e que tal projeto tiraria sua autonomia. Disse ainda que as estações mais antigas foram construídas sem pensar nessa necessidade e que as obra de instalação das portas de segurança causariam grande transtorno e incomodo aos usuários.

Para o deputado Barba, essa mudança de opinião do governador só reforça que seu veto, em janeiro de 2017, foi meramente político. “É habitual que o governador vete projetos de autoria dos deputados e deputadas petistas”, alegou Barba.

Quando o PL do deputado foi apresentado, sua justificativa era o alto número de acidentes que ocorriam nas linhas do Metrô e a própria situação de insegurança em que os usuários ficavam. “Nos horários de pico, as plataformas ficam lotadas, qualquer movimento mais brusco pode fazer com que um passageiro caia acidentalmente nos trilhos”, argumentou o deputado.

O parlamentar ainda ressalta que, em muitos casos, as pessoas pulam nos trilhos para tentar recuperar objetos perdidos ou mesmo os que se suicidam.

Em janeiro deste ano, uma mulher foi empurrada nos trilhos do metrô na estação Conceição, linha Azul, por outro passageiro que sofre de distúrbios mentais. Ela ficou deitada no espaço entre o chão e o vagão, atitude que salvou sua vida, mas sem dúvida as portas de segurança poderiam ter evitado esse e muitos outros acidentes e até mortes.

Carregar artigos semelhantes
Carregar mais em Cidades
Fechado para comentários

Veja também

TJ-SP proíbe Orlando Morando de demolir moradia próxima ao piscinão da Rua dos Vianas

Mãe de uma filha de 11 anos, Alessandra dos Santos Pierotti, moradora há mais de três déca…