Início Categorias Cidades Protesto contra aumento de tarifas em São Paulo começa hoje (11)

Protesto contra aumento de tarifas em São Paulo começa hoje (11)

Comentários desativados em Protesto contra aumento de tarifas em São Paulo começa hoje (11)
0
3,255

O aumento de 20 centavos pode parecer pouco, mas para o trabalhador assalariado que sobrevive com pouco mais de um salário mínimo por mês e, principalmente para estudantes, o reajuste fez muita diferença.

Como Doria descumpriu uma das promessas de campanha de não aumentar as passagens, movimentos contra o reajuste se organizam para cobrar o prefeito. O primeiro ato ocorre nesta quinta-feira (11). A concentração dos manifestantes está marcada para as 17h, em frente ao Teatro Municipal, na região central da capital. O Movimento Passe Livre (MPL), que organiza o protesto, promete intensificar as manifestações em todo o Estado.

O valor das passagens integradas, já reajustadas no ano passado, acumula acréscimo de 17,4%. O anúncio da nova tarifa foi feito pelo governador Geraldo Alckmin e pelo prefeito João Doria, ambos do PSDB, no fim de 2017.

Diego Soares Thiago, um dos líderes do Movimento Passe Livre, ressalta que essa mobilização vai funcionar como termômetro e a mobilização popular contra o aumento da tarifa é essencial para barrar novos retrocessos.

“O que a gente percebe, todos os anos, é que se o aumento da tarifa não for barrado, haverá um incentivo a outros ataques a quem é mais pobre. Se não houver uma mobilização grande, a gente acredita que a direita continuará acentuando os ataques a nossos direitos”, afirmou.

Integrante do MPL do ABC, Gláucio Gonzales diz que, depois do ato em São Paulo, várias cidades da Região Metropolitana também realizarão manifestações contra o aumento.

Em 2017, o valor unitário das passagens foi congelado em R$ 3,80, mas houve restrições na gratuidade do transporte público, além de aumento do valor do bilhete integrado entre ônibus e metrô e na modalidade do bilhete mensal.

Para o MPL, o reajuste de 20 centavos neste ano em São Paulo pode provocar grandes protestos como os ocorridos em 2013, que levaram o governador Geraldo Alckmin e o então prefeito Fernando Haddad, em decisão conjunta, a desistirem do aumento.

Carregar artigos semelhantes
Carregar mais em Cidades
Fechado para comentários

Veja também

Esquece CPMF. Proposta econômica de Bolsonaro é muito pior (para os pobres)

Nesta semana, todas as atenções se voltaram para a declaração de Paulo Guedes, guru financ…