Uma grande operação no dia 31 (terça-feira) de combate à corrupção pegou todo mundo de surpresa na Prefeitura de São Bernardo do Campo. Secretários e o prefeito Orlando Morando (PSDB) ficaram abalados com chegada de dez viaturas de polícia e uma força-tarefa, com 30 integrantes (10 promotores e 20 policiais), do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), da 12ª Promotoria de Justiça de São Bernardo do Campo e do GOE (Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil).

Os alvos desta grande operação, denominada Barbatanas, são sete pessoas investigadas por organização criminosa, corrupção passiva e concussão. Na Prefeitura, o Gaeco foi cumprir mandados de busca e apreensão contra o secretário de Gestão Ambiental de São Bernardo do Campo, Mario Henrique de Abreu, o diretor de Licenciamento, Sergio de Sousa Lima, e o chefe de Seção, Tiago Alves Martinez, todos os três nomeados pelo prefeito Orlando Morando, nenhum deles fez parte da gestão anterior.

Após o episódio, o prefeito Orlando Morando age como se a investigação de corrupção não fosse no governo dele e envolvendo um vereador do PSDB, o partido de ambos. Basta entrar no Facebook de Orlando Morando de no de Mario Henrique de Abreu, ex-secretário investigado e exonerado, para ver o quanto os dois são próximos. Sempre lado a lado nas fotos.

No Facebook, a Equipe Orlando Morando responde a um internauta: “É um caso lamentável que já vinha acontecendo (há) um bom tempo. Temos que aguardar as investigações e estamos (à) disposição para esclarecimentos. A Justiça irá prevalecer e corrupção combatida com rigor!”

Orlando Morando precisa dar explicações à população. Afinal, fez campanha e vive gritando contra a corrupção, mas não resistiu a dez meses até sua gestão ser posta sob suspeita.

No dia da operação, o vereador Julinho Fuzari disse textualmente, em uma transmissão vivo da entrada do Paço, mostrando as viaturas da polícia: “Há tempos, venho dizendo que existem irregularidades na administração do prefeito Orlando Morando, indicações de corrupção. Hoje (terça-feira, 31), quem está presente aqui na entrada do Paço Municipal é o GOE, o Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil. Está aqui junto com o Ministério Público, pois existem elementos contundentes de participação de secretários na questão de propina e corrupção do atual prefeito Orlando Morando”.

Segundo funcionário que pediu para não ser identificado, a denúncia de corrupção surgiu no governo tucano de Orlando Morando. “No governo anterior, não foi registrada nenhuma denúncia de corrupção na Secretaria de Gestão Ambiental.”

Carregar artigos semelhantes
Carregar mais em Política

Deixe uma resposta

Veja também

Natal solidário: compre presentes produzidos por seu vizinho

A um pouco mais de um mês do Natal, muita gente deve estar pensando no que dar para filhos…