Início Categorias Servidores pressionam e PL de Alckmin que congela investimentos é retirado do regime de urgência

Servidores pressionam e PL de Alckmin que congela investimentos é retirado do regime de urgência

Comentários desativados em Servidores pressionam e PL de Alckmin que congela investimentos é retirado do regime de urgência
0
4,742

Nesta terça-feira (17), o auditório André Franco Montoro, da Assembleia Legislativa do Estado, ficou tomado por servidores públicos estaduais que foram protestar contra o Projeto de Lei 920/2017, do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que prevê a limitação das despesas primárias por dois anos. Na prática, a medida limita os investimentos em saúde, educação e demais serviços, prejudicando a população paulista, em especial, os mais pobres que dependem da rede de serviços públicos.

A plenária em conjunto com várias centrais sindicais, sindicatos e sociedade civil conseguiu, junto ao Colégio de Líderes da Alesp, que o projeto fosse retirado do regime de urgência. Ou seja, com essa decisão, o PL terá de passar por todas as comissões para só depois seguir ao plenário.

De acordo com integrantes de movimentos contrários ao projeto, a medida proposta por Geraldo Alckmin significa limitar os investimentos em saúde, educação e demais serviços, prejudicando toda a população de São Paulo, em especial, os mais pobres que dependem da rede de serviços públicos.

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de São Paulo, Douglas Izzo, o protesto na Alesp garantiu, além da retirada do regime de urgência, uma audiência pública no dia 26, na qual será discutido o mérito do projeto, bem como tudo o que ele representa para os trabalhadores e a população que depende de serviços públicos.

“É lamentável que o Estado mais rico da federação aponte para o conjunto da população este congelamento, o que vai trazer prejuízo nos atendimentos de serviços oferecidos pelo Estado, que são pagos pelo próprio povo. No dia 26, vamos realizar uma audiência pública para discutir o mérito desse projeto e mostrar para a população o quanto a proposta é danosa”, alerta Izzo.

Servidora do Instituto Geológico e pesquisadora ligada à Secretaria do Meio Ambiente, Maria José Brollo ressalta que há muito tempo a categoria não é valorizada e o setor não recebe investimentos. Segundo ela, o projeto proposto por Alckmin não tem legitimidade.

Integrante da Comissão de Finanças da Alesp, o deputado Teonílio Barba, do Partido dos Trabalhadores, afirmou que esse projeto de lei dialoga diretamente com a PEC aprovada pelo governo de Michel Temer e que congelou investimentos no Brasil por 20 anos.

“Esse projeto proposto por Alckmin prejudica e desvaloriza ainda mais os servidores do Estado. Na verdade, ele está fazendo uma grande sacanagem com a população do Estado”, ressalta Barba.

No dia 27 de outubro, funcionários públicos do Estado prometem paralisar todos os serviços em protesto contra o PL 920/2017 e pela valorização dos servidores.

Carregar artigos semelhantes
Carregar mais em Categorias
Fechado para comentários

Veja também

TCE suspende, mais uma vez, licitação de Orlando Morando para coleta de lixo em São Bernardo

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu, mais uma vez, a licitação do prefeito Orla…